sexta-feira, 22/06/2012

A Livraria

Teve origem a Livraria da Federação com uma doação em dinheiro feita por Augusto Elias da Silva, juntamente com vários exemplares das obras de Allan Kardec.

Seguiu-se ao impulso inicial do fundador da FEB outra doação feita por João Lourenço de Souza e alguns outros confrades, ficando o 31 de março de 1897 como a data de fundação da Livraria propriamente dita. Entre os primeiros diretores ou gerentes da   Livraria citamos os nomes de João Lourenço de Souza, Francisco Tavares, Antônio Lima e Manuel Quintão.

Todavia, o fato mais significativo relacionado com o livro, ainda no século passado, foi, sem dúvida, a concessão feita à Federação Espírita Brasileira, representada por seu Presidente Dr. Adolfo Bezerra de Menezes, pela Société de Librairie Spirite, proprietária e responsável em todo  o mundo pelas obras do Codificador, representada por seu Administrador e Liquidatário P. G. Leymarie,  “dos direitos exclusivos às traduções portuguesas, tanto no Brasil como em Portugal, das obras seguintes de Allan Kardec, cuja propriedade literária pertence a esta Sociedade de Livraria Espírita, Paris, a saber: 1º O Que é o Espiritismo — 2º O Livro dos Espíritos — 3º. O Livro dos Médiuns — 4º. O Evangelho segundo o Espiritismo — 5º O Céu e o Inferno – 6º A Génese — 7º Obras Póstumas e tudo o que contêm os 40 volumes, da Revue Spirite.

A partir de 1901 a Federação, por meio de sua Livraria, passou a fazer por conta própria, mediante contratos com editoras, as edições de diversos livros, sistema que perduraria por muitos anos, até que pudesse contar com sua própria editora. As obras de Allan Kardec, em edição especial e popular, foram publicadas em 1904, em comemoração ao seu centenário de nascimento.

Em 1901 eram reeditadas as obras Depois da Morte O Porquê da Vida, de Léon Denis, e O Livro dos Espíritos. Mediante acordo com algumas editoras, foram publicadosCristianismo e Espiritismo, de Léon Denis; Marieta: páginas de duas existências, do Visconde de Torres Solanot; Região em litígio entre este mundo e o outro, de Robert Dale Owen; No País das Sombras, de E. d”Espérance; Nos Templos do Himalaia e No Santuário, de A. Van der Naillen; e A Alma é Imortal, de Gabriel Delanne.