sábado, 23/06/2012

Introdução

Após dez anos consecutivos de gratificante trabalho de pesquisa, a equipe do Projeto Série Bibliográfica concluiu as atividades de indexação dos livros publicados pela Federação Espírita Brasileira (FEB).Dois outros livros, resultantes de etapas anteriores do referido Projeto, já foram editados: O Livro Espírita na FEB — catálogo geral e O Espiritismo de A a Z— glossário.

O que é:

Este Guia de Fontes Espíritas é a publicação mais recente da Série Bibliográfica. Constitui-se em um índice temático e onomástico, isto é, de assuntos e de nomes, resultante da pesquisa em trezentos e cinqüenta e cinco títulos correntes publicados pelo Departamento Editorial da FEB. Neste trabalho não foram contempladas apenas as obras em outros idiomas (inglês, francês, espanhol e esperanto) e as obras raras levadas à lume como selo febiano.

É um instrumento de pesquisa que contém aproximadamente 2.500 descritores, 35.000 detalhamentos e mais de 250 remissivas simples e cruzadas (ver tópico Definições Técnicas), cujo objetivo é facilitar o acesso a informações de interesse dos usuários localizadas nos livros da FEB.

E um serviço humano, que, indubitavelmente, contou com a assistência de amigos espirituais, sem os quais não teria sido possível a sua realização. Está, portanto, sujeito a críticas construtivas dos leitores interessados em contribuir com o aperfeiçoamento da indexação.

A quem se destina:

A obra ora disponibilizada ao público, destina-se aos estudiosos do Espiritismo (pesquisadores), aos que trabalham com a literatura espírita diretamente (autores, editores e distribuidores) e aos que se utilizam da literatura para a preparação de palestras, aulas, apresentações, estudos, artigos de periódicos (oradores, monitores e integrantes do Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita, do Estudo e Educação da Mediunidade, de Grupos Mediúnicos e evangelizadores da infância e da juventude), bem como a lodos os interessados em conhecer em profundidade a Terceira Revelação, sejam espíritas ou curiosos.

Como foi elaborado:

O desenvolvimento deste trabalho obedeceu a critérios recomendados pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), sobretudo a diretrizes quanto à elaboração de índices e de referências bibliográficas.

Cada livro foi lido duas vezes por dois indexadores diferentes. Após a leitura, os indexadores confrontaram o resultado de seus esforços individuais. As dúvidas de interpretação foram resolvidas sempre com a participação da equipe de trabalho — composta por cerca de vinte colaboradores —, a fim de se assegurar melhor qualidade ao produto final.

Definições técnicas:

 

Como trabalho subjetivo que depende das características e da preparação do indexador, a indexação é a determinação do assunto de um item-documentário — que, na pesquisa realizada, seria, por exemplo, um capítulo, tópico, mensagem, conto, crônica, poema, etc. de um livro — e a tradução ou representação de conceitos contidos neste item documentário em termas de uma linguagem controlada, com o objetivo de facilitar a localização de informações que possam interessar ao leitor.O indexador é a pessoa que faz a análise, interpretação e tradução dos assuntos pesquisados nos livros que foram lidos.

Emprega-se o termo linguagem controlada em contraposição a linguagem natural, falada livremente no dia-a-dia. Desse controle de linguagem, é gerado um vocabulário básico, composto por descritores.

Os descritores são os lermos utilizados na indexação, que têm como objetivo principal a padronização de linguagem, evitando-se, assim, a sinonímia e a polissemia, vale dizer, a utilização de dois ou mais termos com o mesmo significado ou um termo com vários significados, como ocorre na linguagem cotidiana. Os descritores são também conhecidos como palavras-chaves.

Os não-descritores são as palavras não utilizadas para a indexação.

Os detalhamentos são palavras (entradas) que aparecem sob cada descritor com a finalidade de especificar o assunto pesquisado.

As remissivas, palavras que se referem a outras contidas no texto, podem ser simples ou cruzadas. Denominam-se remissivas simples aquelas indicadas pela palavra “ver”, cuja função é remeter de um não-descritor a um descritor. As remissivas cruzadas são indicadas pela expressão “ver também” e que remetem de um descritor a outros descritores relacionados.

Estrutura desta obra:

De par com o rigor técnico exigido em trabalhos como este, que resultam nas denominadas obras de referência, a equipe preocupou-se com o fator legibilidade documental. Embora não seja uma obra a ser lida do início ao fim, mas, sim, a ser pesquisada, conforme os assuntos de interesse para demandas específicas, deve-se cuidar para que o folhear do livro seja o mais agradável e cômodo possível, facilitando a consulta do leitor.

Com essas preocupações, adotou-se os seguintes critérios nesta publicação:
— os descritores foram arrolados em ordem alfabética e destacados em caixa alta e negrito. Ex.: ABOLIÇÃO; ABORTO; ABSTINÊNCIA…;

— os detalhamentos de cada descritor também foram relacionados alfabéticamente, registrados em letra cujo tamanho e tipo de fonte facilitem a visualização. Adotou-se um espaçamento entrelinhas especial, com vistas à rápida localização dos assuntos mais específicos. Ex.: O descritor ACASO possui os seguintes detalhamentos fatalidade e, fenômenos psíquicos e inexistência. do, providência divina e;

— as fontes inseridas após cada detalhamento foram registradas entre parênteses, com um tipo de letra um pouco menor, cujos elementos principais são: a abreviatura da referência, anotada em itálico (Ref.), seguida do número que  remete às referências bibliográficas localizadas no final da publicação; o títulodo capítulo ou do tópico, substituído por seu número, quando numerado, antecedido da abreviatura “cap”; a página onde se encontra ou se inicia a informação no livro correspondente, antecedida da abreviatura “p”.  para que se veja nitidamente cada conjunto de fonte, optou se pelo espaçamento duplo na separação das fontes, antecedido de ponto-e-vírgula. Ex.:O descritor DISCIPLINA possui, entre outros, um detalhamento que é humildade e, neste detalhamento, há duas fontes: (Re 270, cap. 46, p. 131;   Rei. 347, cap. 74, p. 170).

Remissivas de assuntos correlatos foram feitas com a indicação ver também. Palavras sinônimas foram remetidas aos descritores correspondentes pela indicação ver. Foram incluídas, ainda, as referências bibliográficas de todos os títulos correntes
publicados pela FEB e um índice dos descritores, que remete às respectivas páginas desta obra, nas quais consta(m) o(s) assunto(s) procurado(s).

Geraldo Campetti Sobrinho
Coordenador