quarta-feira, 07/03/2018

Um olhar diferente

Em admirável visão de futuro, Jesus profetizou e o evangelista Marcos anotou: “Olhai, vigiai e orai; porque não sabeis quando será o tempo (Mc, 13:33).”

A que tempo o Mestre se referiu? Aos tempos chegados?

Observando-se tudo o que tem ocorrido na atualidade, nesses momentos líquidos em que os valores parecem perder significado e boa parte das pessoas não sabem aonde ir ou qual caminho percorrer, tudo parece apontar que os tempos já chegaram…

A recomendação do Cristo, definida no vocábulo olhai, determina que saiamos de nosso mundo íntimo e busquemos enxergar o que está acontecendo ao nosso redor. Uma espécie de visão panorâmica que alcança todo o possível para que consigamos perceber a ambiência em torno de nós e como temos agido e reagido ao vislumbrado.

Olhar, mirar e examinar são atitudes saudáveis quando se tem o propósito sincero de aprender e conquistar novos valores, buscando uma compreensão abrangente da realidade que enfrentamos no dia a dia. Qual a leitura que fazemos do que está acontecendo no mundo? Como temos sentido o instante atual? Até que ponto nos abalamos pelas ondas efêmeras de modismos e ocorrências impactantes que assolam as sociedades cotidianamente?

Considerar, avaliar e ponderar integram perspectivas de olhares percucientes, que não se circunscrevem à objetividade material, restritiva e limitadora, mas que transcendem a novos olhares, captadores de realidades espirituais e mediadores dos liames entre passado, presente e futuro. Isso implica enxergar além, compreendendo o antes e o depois, para se entender precisamente o agora. Nessa concepção, as variáveis tempo e reencarnação são imprescindíveis para o entendimento do ser imortal como artífice de seu próprio destino e, consequentemente, responsável por suas ações, palavras e pensamentos no processo contínuo e crescente de metainfluências entre todos os seres da Criação Divina.

O vocativo olhai com que Jesus nos desafia é uma proposta: de renovação para o despertar da consciência; de estímulo para a superação de paradigmas materialistas; de convocação para a efetiva transformação moral de cada um de nós, com vistas à regeneração social de toda a Humanidade.

Como tem sido nosso olhar perante as pessoas, ocorrências, provações e oportunidades que a vida nos oferece? O que diferencia nosso olhar do olhar comum?

Não obstante as tendências alarmantes do final dos tempos e, mesmo considerando o caos que parece dominar o mundo, em que tantos se deixam conduzir pelo pessimismo e descrença, “o amor é o olhar de Deus sobre a vida”, como nos ensina Léon Denis.

Por isso, eu prefiro ter um olhar diferente: otimista e amoroso. E você?

 

SOBRE O AUTOR

Geraldo Campetti Sobrinho

Geraldo Campetti Sobrinho é vice-presidente da Federação Espírita Brasileira. Coordenador da FEB Editora, responsável pela Biblioteca de Obras Raras e Museu da Federação. É apresentador dos programas Livros que Iluminam e Entre dois mundos: uma visão espírita da realidade, da FEBtv.

COLUNA ESPÍRITA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS




FEB EDITORA

BOLETIM EDITORIAL

BOLETIM INSTITUCIONAL

REVISTA REFORMADOR

Revista que aborda temas relacionados com Ciência, Filosofia e Religião à luz do Espiritismo e com o Movimento Espírita brasileiro e o internacional.

ASSINE