Home > Colunista > Outdoor vivo da Boa-Nova

Outdoor vivo da Boa-Nova

Não estás, nem nunca estiveste, sozinho na caminhada evolutiva.

Observa em derredor e constatarás que tuas palavras têm forte impacto em quem te escuta.

Tuas posturas diante das ocorrências da vida influenciam outras tantas existências.

O que outrora escreveste, que atualmente digitas, tem peso significativo no que outrem digere mentalmente.

Por isso mesmo a vigilância e a cautela em torno de nossos pensamentos e atos revestem-se de grave importância para que a esfera mais próxima de nossa influência não seja danificada pela nossa pior parte.

Nem sempre equilibrados, em muitas ocasiões sofremos o assalto das sombras interiores que ainda nos caracterizam e deixamo-nos levar pela intemperança na escrita ou na fala, imprimindo perturbadora interferência em vidas outras.

Uma frase mal colocada, e dentro em pouco a inquietação semeia uma zona de atrito.

Um texto em rede social digitado sob descontrole ou revolta, e em breves minutos a reação violenta desarticula nosso dia.

Um telefonema em momento de raiva ou agitação, e logo uma tempestade de consequências imprevisíveis desaba em nossa terra íntima.

A criatura humana, desconhecedora de si mesma, ainda não se deu conta integralmente de que influencia e é influenciada incessantemente, deixando digitais em todo lugar por onde passa.

O verbo bem colocado restaura a esperança e otimiza a fé prestes a fenecer. Mal articulado, espalha miasmas e desliga a tomada da confiança, semeando escuridão e aflição.

Um simples bilhete eletrônico descarrega no leitor inesperadas reações, podendo elevar-lhe a autoestima ou favorecer a punção suicida já existente naqueles que estão à beira do precipício.

Criaturas transceptoras, tanto emitimos quanto captamos vibrações sutis, que nos atingem diariamente. São petardos mentais que, de ambos os planos da vida, são disparados por mentes nobres e indignas, saudáveis e doentias, luminosas ou ainda envoltas em densas sombras. Todas têm endereço certo. Cada emissor responde pela qualidade de sua transmissão. Cada receptor as acolherá de acordo com seu momento emocional e com sua faixa de interesse.

Situemos Jesus cercado da massa de esfaimados espirituais e invisíveis sociais. Muitos, ali, arquitetando revolta surda, sedentos de revanche contra Roma, sufocados pelo ódio contra a injustiça social que reinava, desumana e opressora. E a mente superior do Divino Amigo pairando acima de tantas sombras humanas, buscando ofertar ajuda e orientação aos perdidos nas estradas dos testemunhos indispensáveis.

Multiplicou pães e peixes.

Articulou o verbo da vida no Sermão da Montanha.

Inoculou esperança na anemia psíquica de muitos.

Apontou para outros rumos libertadores.

Certamente não atingiu todos. Cada um recepcionou o que pôde, de acordo com sua sintonia de momento.

Onde estejas, fiscaliza o que vais dizer. Digitando, toma redobrado cuidado com tuas frases. Telefonando, seleciona com zelo as palavras que emites, pois, do outro lado, alguém pode estar em precária situação emocional.

Dignifica a língua em que te exprimes, dela fazendo ferramenta de esperança e consolação.

Escreve, sempre que possas, resgatando a autoestima e espargindo otimismo.

E, em qualquer ocasião em que não tenhas o que dizer ou taquigrafar, movimenta tua onda mental em torno da paz e da alegria, deixando, por onde passares, páginas de luz e saúde, bom ânimo e harmonia.

Em meio a tantas agonias ora reinantes nos cenários terrestres, os escribas da vida plena estão atrás de quem interprete o Alfabeto Divino, materializando no mundo páginas de alegria e fé em um novo tempo, reerguendo caídos e secando lágrimas.

Sê tu o outdoor vivo da Boa-Nova.

Basta desejar.

Marta

 

(Mensagem psicografada pelo médium Marcel Mariano. Juazeiro, 19.11.2020. Revisada pela autora espiritual)