Home > Movimento Espírita > Informações da AME-Brasil sobre a pandemia

Informações da AME-Brasil sobre a pandemia

Considerando que as casas espíritas, através de suas atividades presenciais, podem oferecer um maior suporte psicológico, social, religioso e espiritual às pessoas que vivenciam este período de provações individuais e coletivas, vimos, despretensiosamente, prestar algumas informações e sugestões.

É conhecido que a pandemia da COVID-19 traz diversos transtornos de ordem emocional, tais como depressão e ansiedade, possivelmente como decorrência do clima de tensão gerado em torno desta doença e pela necessidade do distanciamento social [1, 2]. Também, muitas pessoas sofrem com os danos econômicos, o que acarreta maior vulnerabilidade social.

As casas espíritas apresentam importante papel no atendimento fraterno, seja pela assistência espiritual, como pela social. No entanto, durante o período da pandemia, os centros tiveram que suspender muitas de suas atividades para evitar que houve maior disseminação do vírus, optando por atividades não presenciais, como palestras através de plataformas de transmissão ao vivo.

A pandemia da COVID-19 ainda permanece, e, até o momento, não temos uma perspectiva clara do seu período de duração (da pandemia). Muitos locais do Brasil estão experimentando novo aumento significativo do número de casos, casos graves e fatais. Devido à necessidade do desenvolvimento de vacinas de forma rápida, para conter a disseminação do vírus, sem ainda determos o conhecimento mais amplo acerca dos mecanismos imunológicos que conferem proteção contra o vírus e pela capacidade deste agente de sofrer variações, considera-se que a vacinação será um auxiliar no controle da pandemia, mas, sozinha não poderá impedir que novos casos aconteçam. Por este motivo, ainda permanece a necessidade de cuidados como o distanciamento social (evitar as aglomerações), etiqueta respiratória, uso de máscara, higienização das mãos e isolamento domiciliar para as pessoas com síndrome gripal.

É imprescindível oferecer atendimento fraterno às pessoas necessitadas emocional e socialmente. A Doutrina Espírita ensina que em momentos como estes, em que a humanidade se encontra afetada por flagelos como a pandemia da COVID-19, são ricas oportunidades para se desenvolver o amor ao próximo [3]. Por isso, é muito importante que as casas espíritas procurem, dentro de suas possibilidades, atender a população, tanto de forma virtual e, quando possível, também presencialmente, atuando de forma consciente e garantindo a proteção de seus trabalhadores e assistidos. Para isso, sugere-se algumas medidas, como descritas abaixo:

  1. Atentar para a situação da pandemia em cada localidade. O Brasil é um país de dimensão continental e muito diverso, de forma que esta situação não é mesma para todos os locais. As casas devem seguir as recomendações oficiais de cada localidade, no cumprimento de suas atividades.

  2. As medidas de proteção continuam sendo necessárias: distanciamento social (evitar as aglomerações), uso de máscara, higienização das mãos, etiqueta respiratória e isolamento domiciliar para as pessoas com síndrome gripal.

  3. Trabalhadores pertencentes ao grupo de risco para doença grave pela COVID-19 devem evitar atividades de contato direto com o público, especialmente nos locais onde a situação da pandemia se encontra mais crítica.

  4. As atividades voltadas ao público devem ter sua organização considerando-se a situação local da pandemia e estrutura física da casa. Locais onde a transmissão estiver em elevação, com crescente taxa de internações e óbitos, descritos pela Matriz de Risco do Ministério da Saúde como fase vermelha(para as localidades que optaram por fazer uso de tal instrumento), devem ter as atividades abertas ao público suspensas. Os atendimentos fraternos podem ser realizados de forma individual, ou com pequeno número de pessoas, desde que se respeitem as medidas de proteção citadas acima, principalmente distanciamento social e etiqueta respiratória. Nos locais onde a situação estiver mais controlada (representada, na Matriz de Risco pelas fases laranja, amarela e verde) as atividades podem variar conforme as recomendações governamentais e das agências reguladoras.

  5. Nas cidades em que os cultos forem permitidos, é fundamental que se observem medidas que visam distanciamento das pessoas entre si, com espaço entre as cadeiras dentro das normas estabelecidas por cada local, mesmo que isso leve ao distanciamento entre casais ou famílias, lembrando sempre que será apenas durante a realização da atividade de culto doutrinário (palestra). As medidas de distanciamento também deverão ser utilizadas nas cabines de passe.

  6. Todos os participantes e trabalhadores de cultos presenciais deverão estar usando máscaras respiratórias e deverá ser fartamente oferecido álcool a 70% em gel, para higienização das mãos dos participantes e trabalhadores.

  7. Os expositores que optarem por não utilizar máscaras durante o trabalho, deverão ocupar lugar com distância mínima de dois metros do público.

  8. Estimula-se as atividades virtuais (reuniões e grupos de estudo). Os atendimentos fraternos também podem ser realizados de forma virtual ou por telefone [2]. A Associação Médico-Espírita de São Paulo desenvolveu interessante programa, de atendimento via telefone para as pessoas com necessidades espirituais durante a pandemia [4]. Treze profissionais foram treinados para fazer os atendimentos, com duração de 30 minutos cada um, de segunda a sexta-feira no período noturno (19 – 21hs).

  9. Preces intercessórias e passes a distância ou coletivos também são recursos que podem ser utilizados.


Referências:

  1. González-Sanguino C et al. Mental health consequences during the initial stage of the 2020 Coronavirus pandemic (COVID-19) in Spain. Brain Behav Immun. 2020 Jul;87:172-176.

  2. Koenig HG. Maintaining Health and Well-Being by Putting Faith into Action During the COVID-19 Pandemic. J Relig Health. 2020 Oct;59(5):2205-2214.

  3. Kardec, Allan. Questão 740, 3ª parte, capítulo VI. In: O Livro dos Espíritos, 87ª edição, Federação Espírita Brasileira, Brasília, DF, Brasil.

  4. Ribeiro MRC, Damiano RF, Marujo R, Nasri F, Lucchetti G. The role of spirituality in the COVID-19 pandemic: a spiritual hotline project. J Public Health (Oxf). 2020 Nov 23;42(4):855-856.

 

Site da AME-Brasil: http://www.amebrasil.org.br/2018/